Quem sou eu

Minha foto
Piraí, Rio de Janeiro, Brazil
Nasci no Ceará, no Cariri, na cidade do Crato, em 12/03/44, passei parte da minha infância na fazenda Tanques e em Milagres, aos 10 anos, em 1954, vim para o Rio de Janeiro, com minha mãe e irmãos, juntar-se ao meu pai, que há um ano já se encontrava aqui.
Ateu por convicção, médico e professor por devoção. Especialista em pediatria e medicina esportiva, professor de fisiologia e anatomia aplicadas à atividade física na UFRRJ.

sábado, 1 de outubro de 2011

LUGAR DA ORIGEM - CRATO/CE



Hino do município de Crato
Letra por Martins D'Alvarez
Melodia por Joaquim Cruz Neves


Flor da terra do sol
Ó berço esplêndido
Dos guerreiros da "Tribo Cariri"
Sou teu filho e ao teu calor
Cresci, amei, sonhei, vivi
Ao sopé da serra, entre canaviais
Quem já te viu, ó não te esquece mais!
Para te exaltar, ó flor do Brasil
Hei de te cantar, meu Crato gentil
Ó coração do Ceará
Comigo a nação te cantará!
No teu céu linda brilha estrela fúlgida
Que há cem anos norteia o teu porvir
Crato amado, idolatrado
Teu destino hás de seguir
Grande e forte como nosso verde mar
Bendita sejas, ó terra de Alencar!


RESUMO HISTÓRICO DA CIDADE DO CRATO

A cidade do Crato, inicialmente chamada de Missão do Miranda, resultou de um movimento missionário dos Freis Capuchinhos de Recife, cujo objetivo era catequizar e civilizar os povos indígenas. Frei Carlos Maria de Ferrara, frade franciscano, italiano da ordem dos capuchinhos foi enviado para a missão a fim de trabalhar com os índios da Tribo Cariri. Cumpriu sua tarefa no período de 1730 a 1750. A igreja católica foi peça fundamental nos primórdios de Criação e desenvolvimento desta cidade, acelerada com a chegada de imigrantes da “civilização do Couro”, vindos da Bahia, Sergipe e Pernambuco. Em 03 de Dezembro de 1743, quando a Missão e o aldeamento já se encontravam em plena atividade, o capitão-mor Domingos Alves de Matos e sua mulher, assinaram a escritura de doação das terras para os índios. Ainda neste século, os índios foram manifestando hábitos acentuados de vida social disciplinada e foram reconhecidos como capazes de associar-se a brancos na administração do povoado. Desse modo o ouvidor do Ceará, Vitorino Pinto Soares Barbosa, conferiu personalidade política à povoação de Frei Carlos, atribuindo-lhes os foros de Vila em 21 de Junho de 1764. Nomeado Crato, pela Secretaria de Negócios ultramarinos, em homenagem à homonímia cidade portuguesa de Alentejo, obedecendo à determinação da metrópole que dava poderes ao ouvidor para fundar novas vilas no Ceará, com a recomendação de aplicar-lhes nomes de localidade lusitana.
O Capitão Francisco Gomes de Melo e o índio José Amorim foram os dois primeiros juízes ordinários nomeados. Isto provava que os índios tornavam-se aptos a colaborar na administração pública da vila, que já completara 25 anos. Foi fundado, então, um Corpo de Cavalaria sob o comando do Coronel Antônio Lopes de Andrade. Assim evoluiu no campo político a vila de Frei Carlos, elevada a categoria de cidade pela Lei Provincial nº 628, de 17 de Outubro de 1853.

Retirado de: • A CIDADE DE FREI CRALOS, Pe. Antônio Gomes de Araújo, 1971. Crato-ce.
• Revista Itaytera 1995.

CRATO HOTEL - O 1º HOTEL DA CIDADE

PRIMEIRO TIME DE FUTEBOL DO CRATO FUNDADO EM 18 DE JANEIRO DE 1919
DA ESQUERDA PARA A DIREITA EM PÉ: JOSÉ DUMMAR (JUIZ); MARIO MELO (ZAGUEIRO DIREITO); FRANCISCO TEIXEIRA "PIRRINTO" (GOLEIRO); ANTONIO LIMA (ZAGUEIRO CENTRAL);
DA ESQUERDA PARA A DIREITA DE JOELHOS: HELI NOROÕES (HALF DIREITO); JOÃO DUMMAR (CENTER HALF); WLADEMAR GARCIA (HALF ESQUERDO)
DA ESQUERDA PARA A DIREITA SENTADO: JOSÉ CARVALHO (PONTA DIREITA); GERSON ZÁBULON (MEIA DIREITA); JORGE DUMMAR (CENTER FORWARD); ZEZE ESMERALDO (MEIA-ESQUERDA); DUCLERC COLARES (PONTA ESQUERDA).

COLÉGIO SANTA INÊS


COLÉGIO SANTA THEREZA - 1925 - ONDE A MAIORIA DAS MOÇAS DA FAMÍLIA ESTUDOU


ESCOLA TÉCNICA DO COMÉRCIO

SEMINÁRIO DO CRATO - FUNDADO EM 1875.ONDE MUITOS DA FAMÍLIA ESTUDARAM E INCLUSIVE ALGUNS SE ORDENARAM

OS HOMENS ESTUDARAM NO SEMINÁRIO, NO DIOCESANO OU NO GYNÁSIO DO CRATO AS MULHERES NO SANTA INÊS OU NO SANTA THEREZA


ALUNOS DO GINÁSIO 1930 - ONDE MUITOS DA FAMÍLIA ESTUDARAM. AO CENTRO EM PÉ, TIO RAIMUNDO ESMERALDO, A SUA DIREITA UNIAS GONÇALVES.

PRAÇA FRANCISCO SÁ (Praça da Estação) – CRATO-CE
PRAÇA DA SÉ - CRATO - CE



GRANGEIRO

CASARÃO DO SÍTIO BEBIDA NOVA CONSTRUIDA PELO MEU BISAVÔ ANTÔNIO ESMERALDO - a dez minutos da cidade. Aqui tambem muitos nasceram.


CONSTRUÇÃO NO TERREIRO DO CASARÃO - OBSERVAR AS ESTRELAS DE SALOMÃO NAS JANELAS.

Pancrácio e Anette no Casarão - Julho de 2010


ENTREVISTA COM ANETTE ESMERALDO SOBRE O CASARÃO DA BEBIDA NOVA - Em 22-07-2009, então com 88 anos e muito lúcida

Anette é minha tia e madrinha, caçula do casal Antonio Esmeraldo e Ana Pinheiro Esmeraldo, a única sobrevivente dos seus 12 filhos nascidos vivos, pois também muitos foram seus natimortos.


P- Quem construiu o casarão do Sítio Bebida Nova?
A- Antonio Esmeraldo da Silva, seu bisavô paterno.




P- Em que ano ele faleceu?
A- No dia oito de dezembro de 1908, com aproximadamente 58 anos. (nasceu no dia 12 de maio de 1850)


P- Em que ano foi construído?
A- Creio que na década de 1870, mas não sei precisar o ano. Meu pai me disse que a construção durou 10 anos.




P- Foi construída por escravos?
A- Muito provavelmente, pois ainda não havia sido abolida a escravidão.




P- Todos os filhos de Antonio Esmeraldo nasceram nele?
A- Creio que a maioria.




P- Quem morou por último na casa?
A- Foi o tio Álvaro Esmeraldo, primogênito do segundo casamento, até se mudar para Fortaleza.




P- Já ouviu falar da descendência judaica da família Esmeraldo?(Ribeiro da Silva)
A- Sim, meu irmão Silvio um dia comentou sobre isso.




P- Algum dia já lhe confundiram como judia?
A- Sim, por duas vezes. Uma vez num supermercado um casal veio falar comigo em hebraico pensando que fosse judia. E outra vez, em 1943, em plena segunda guerra, ao desembarcar na estação ferroviária do Rio, com alguns parentes, inclusive meu pai e minha irmã Cira, fui detida pela polícia, para averiguação, pois estavam desconfiados de que era judia.




P- Já tinha ouvido falar que no casarão existe uma grande evidencia da descendência judaica da nossa família?
A- Não, até você me mostrar aquela janela anteontem.




OBS: A grade de ferro da janela redonda, lateral dos fundos da casa é simplesmente a ESTRELA DE DAVID e num depósito no terreiro da casa tem duas janelas com ESTRELAS DE SALOMÃO 


Nenhum comentário:

Postar um comentário